Venha ser um bruxo e jogar RPG no mundo de Harry Potter! Vagas ilimitadas!


--/--/----
Clima:
texto texto texto texto
texto texto texto texto
Início de Período:
--/--/----
Termino de Período:
--/--/----
Eventos: nada relevante


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Corredores do Castelo

Ir à página : 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 4]

1 Re: Corredores do Castelo em Ter Jul 07, 2009 10:30 pm

Satrissa Lautrec

avatar
Professora de Hogwarts
Professora de Hogwarts
Era cedo. Manhã do terceiro dia de aula. Provavelmente 6 horas da manhã.

Nick Quase-Sem-Cabeça estava fazendo sua caminhada matinal pelos corredores do castelo. Estava tranquilo, só faltava assobiar alguma música e colocar a mão no bolso para ser idêntico àquela imagem do homem (no caso "fantasma") despreocupado e seguro.

Mas uma figura irrompeu justo no corredor que ele passava. Ela estava possessa, irritada, irada, com olhos vermelhos, coque preso, passo duro e pesado, punho fechado e algumas lágrimas.

Nick parou, olhando para a professora que se aproximava cada vez mais, marchando pronta para um ataque. Nick estava abobado.

-SAIA DE MINHA FRENTE, FANTASMA! - esbravejou Satrissa, irada, passando pelo fantasma e provocando-lhe um mau humor.

-Tua louca! Está assim por quê? Hogwarts não está como você quer? - enfrentou ele.

Satrissa parou. Não se virou, apenas falou , antes de continuar a caminhar para seus aposentos:

-Eu sei provocar dor. E até mesmo fantasmas podem sentir o que provoco.

Nicolas sentiu. Sentiu medo das palavras descontroladas daquela mulher. Decidiu, portanto, calar-se e continuar sua caminhada matinal, ignorando aquilo que tinha presenciado.


_________________

2 Re: Corredores do Castelo em Qui Jul 09, 2009 11:24 am

Ctaaciug Xyeetnuut

avatar
Professor de Hogwarts
Professor de Hogwarts
Off: [Vindo dos dormitórios da liga ministerial]

-Paciência.

É o pensamento que perpassa na mente de Ctaaciug, quando ele vê uma pequena conta perdida no meio do corredor.

Ele a pega e a coloca no pote, ele decidiu não contar quantas, apesar de sua mente não esquecer onde achou cada uma.

E ele se lembra de uma frase dita por um dos três grandes Lamas de sua geração.

”-Um inimigo externo não tem como destruir a nossa tranqüilidade de espírito.”

E mesmo sozinho agora, ele sabe que vai precisar desta tranqüilidade para olhar o caminho e enxergar uma solução, pois sabe que este lugar tem um problema.

E se lembrando do que ele leu na biblioteca, ele pensa que como as estações se sucedem uma após a outra, haverá o tempo para que as coisas ocorram.

O tempo certo.

Mas no momento é necessário ter.

Paciência.

E continua seu caminho, enquanto pega mais uma conta.

Off2:[Para as proximidades do lago negro]

3 Re: Corredores do Castelo em Seg Jul 20, 2009 6:53 am

Jack Lennox Vivaldi

avatar
Lufa-Lufa
Lufa-Lufa
Jack acabara de sair dos aposentos da liga ministerial... Seu rosto apresentava marcas vermelhas, pareciam linhas vermelhas, que todos os que estavam presentes no acidente, ou soubessem de alguma forma, reconheceriam estar no local de cada corte...

A cabeça do garoto doia muito e seu rosto estava vermelho... Os olhos estavam praticamente vazando lagrimas e o garoto tentava respirar... Levava as mãos para o pescoço tentando tirar as vestes de seu pescoço...

Ele não queria que alguem o visse assim, mas não podia morrer em um local onde não achariam seu corpo... Então ele se arrasta até entre duas estátuas e encosta na parede...

Seus olhos começam a fechar lentamente, enquanto seu ar se esvai... Pensava em ser achado por algum colega... Pois não podia ser levado para a enfermaria... Deacon o mataria... Precisava que falassem com seu pai... mas...


"Neste momento o pensamento de Jack some, sua visão torna-se negra e ele perde os sentidos... Seu corpo desacordado cai para o lado derrubando uma das armaduras que ficavam a frente da sala da liga ministerial...

_____________________________________________

Off: O Jack não vai acordar agora... E ninguem, nem professores, nem nada poderam acorda-lo no momento... Respeitem esses termos... E por favor... ENCONTREM O JACK!!! AUSHUAHSuhAUhs


_________________
"Um homem tem de amar a paz, mas se não conseguir lutar com todas as suas forças, nunca terá paz...".

4 Re: Corredores do Castelo em Qua Jul 22, 2009 11:18 pm

Narrador

avatar
Narrador
Narrador


Nunca ninguém viu aquela bela oriental tão nervosa como estava naquele momento. Seus passos eram rápidos, estava descalça. Perdera as sapatilhas na correria da floresta ate ali. Enquanto lentamente a visão turva de Sibytus voltava e ele sentia a dor que a luz forte lhe causava nos olhos, ele pode sentir os longos cabelos brancos de Kaileena caírem algumas mechas sobre seu rosto.

Os alunos podiam ver a Professora com Sibytus em seus braços correndo pelos corredores que levavam para enfermaria. O Jovem sentia muita dor pelo corpo inteiro, estava machucado e manchava os braços da professora com o sangue que vertia de seu rosto cortado. As vestes dela lembravam véus negros de tão fino que era o tecido e voavam ao sabor de cada passo. Ela dava passos largos, demonstrando uma força grande em poder carregar o menino daquele tamanho com facilidade.

-Fica quieto Sibytus eu vou buscar ajuda.

Ela continuava sem parar ate a enfermaria.

5 Re: Corredores do Castelo em Qua Jul 22, 2009 11:38 pm

Sibytus Stravius

avatar
Professor de Hogwarts
Professor de Hogwarts
Sibytus so sentia seu corpo ser carregado, ainda estava meio tonto, quando em fim recobrou sua consciencia involuntariamente ele gritou!

Cuidado a luz!!!

Nesse momento Sibytus e Kaileena quase cairam no chão

mas percebeu que ja estva dentro do castelo e quem o carregava era a professora Kaileena, um sentimento estranho bateu nele, porem no momento ele nao conseguia pensar em nada a dor começou a incomodar seu corpo, ele tinha um pé atras com a professora ele nao sabia explicar o porque, mas sempre desconfiou de alguma coisa nela...

ele volta a desmaiar devido a dor intença...

6 Re: Corredores do Castelo em Seg Jul 27, 2009 10:19 am

Robert de Boron

avatar
Professor de Hogwarts
Professor de Hogwarts
Após falar com Ctaaciug Robert começa a colocar suas habilidades em funcionamento mesmo que as vezes elas não funciona-se muito bem, ele começa a usa-las nos corredores do castelo sempre tentando ser o mais discreto possível.

-Concentração Robert você não pode errar, agora mais do que nunca você tem que ser o mais certo possível, vai ser um pouco complicado mas eu vou tentar, eu preciso achar um lugar calmo pra me concentrar

Robert continua a andar pelos corredores do castelo, até que uma sensação esquisita passa pelo seu corpo como se fosse um Avada, uma sensação parecida com a que ele teve no banquete de boas vindas ele rapidamente procura um lugar pra se sentar ao fazer isso ele começa a vasculhar sua mochila

-Droga cade a poção que o Deacon me deu, não posso ter perdido ela.

Ele já estava começando a sentir falta de ar a sensação ia aumentando cada vez mais o deixando desnorteado.

-Calma Robert se concentra deixe assa sensação fluir naturalmente vamos feche os olhos e respire bem fundo.

A medida que Robert citava um mantra que seus pais lhe ensinaram aos poucos a sensação ia dando lugar para algumas imagens um tanto distorcidas que pouco se faziam entender logo as imagens acabam a sensação que ele sentia já havia desaparecido, assim que ele abre os olhos algo estranho estava ocorrendo com ele era como se sua percepção ao mundo desconhecido não fosse mais tão desconhecido pra ele.
Ele continua a andar pelos corredores com um olhar diferente seus olhos de castanhos haviam ficado brancos.


Naquele momento Robert já não sabia o que fazia e nem controlava mais suas ações um novo espirito comandava o corpo de Robert o levando sem rumo pelos corredores do castelo, o espirto andava com certeza do caminh que deveria seguir olhando centímetro por centímetro após algum tempo seu olhos que haviam ficado brancos voltam a cor normal,


uma tontura o consome o obrigando a se sentar em qualquer lugar do corredor.



-O que foi que aconteceu comigo?


Ele fica ali sentado um bom tempo sem se mover.
Ao olhar em volta do lugar que estava Robert não entendia o que estava acontecendo e nem como ele havia ido parar nos jardinsa do castelo
-----------------------------------------------

NARRAÇÃO
PENSAMENTOS

---------------------------------------------------



Última edição por Robert de Boron em Seg Ago 03, 2009 10:10 am, editado 1 vez(es)

7 Re: Corredores do Castelo em Sex Jul 31, 2009 10:01 am

Graziela Fernandes

avatar
Graziela passeava pelos corredores do castelo a procura do Barão Sangrento, o fantasma da “extinta” Sonserina.
-Barão...Barão Sangrento...!-gritava Graziela andando de um lado para o outro com o olhar atento, para qualquer sinal do fantasma.

-Preciso ter uma palavrinha rápida com o senhor...-insistia Graziela.

8 Re: Corredores do Castelo em Ter Ago 11, 2009 1:04 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC


Era madrugada e Deacon estava voltando com Marina para os aposentos dela. Nos arredores da enfermaria eles estavam, Deacon a envolvia por sobre o ombro, aquecendo-a naquela noite que beirava o iniciozinho do outono, e mal saíram do corredor de entrada da enfermaria quando Deacon viu. Marina estava chorando. Ele pára imediatamente, segura-a pelos ombros e olha bem fundo em seus olhos.

- Marina... O que houve?

9 Re: Corredores do Castelo em Ter Ago 11, 2009 10:38 pm

Gabrielle Stevan Orion

avatar
Sonserina
Sonserina
Narração
- Falas


Gabrielle estava andando pelos corredores quando de repente notou, de longe, uma garota loira gritando para um dos fantasmas do castelo. Ela fitou a garota por um momento e logo em seguida foi em direção a ela. Como havia sido reprovada, haviam poucas pessoas nas quais falavam com ela. Ou melhor, Gabrielle não tinha amigos. Não falava com ninguém e só queria um pouco de status, mas ainda não conseguiu. Não sabia como encontrar a prima Lidily e nem estava interessada nela, mas queria saber como ela estava após tudo que acontecerá.


Ela já sabia o que a garota fizera e já havia escutado comentários sobre o que o diretor havia feito. Todos falavam dela. Era como se Lidily fosse à traidora do castelo, ou melhor, para todos os alunos, Lidily era a traidora.


Após essa pequena lembrança, Gabrielle já estava se aproximando da garota. Lembrou de conhecê-la de algum lugar, só não se lembrava de onde. Aproximou-se da garota e sorridente falou:


- Oi! Eu sou a Gabrielle. Você não é aquela menina que estava com dor de cabeça na reunião da Armada?

10 Re: Corredores do Castelo em Qua Ago 12, 2009 10:46 am

Barão Sangrento

avatar
NPC
NPC
Graziela finalmente encontra o Barão Sangrent, que deslizava arrastando muitas correntes, sozinho, num dos corredores perto das masmorras. Quando ele observa a menina o chamando, ele se vira e resmunga:

-Que pecado cometi para ter um bando de alunos atrás de mim? - resmungou irônico, afinal, ele cometera muitos pecados... - -O que você quer, aluna? Já não falei com você no semestre anterior?

11 Re: Corredores do Castelo em Qua Ago 12, 2009 6:10 pm

Marina Angela

avatar
Não queria que Deacon percebesse. Era insuportável e imperdoável uma sonserina se apresentar daquela forma, na frente de quem quer que fosse. Mas ao sentir a preocupação dele para com ela, ao sentir aquele braço protetor no seu ombro, tudo desmoronou. O calor que ele lhe oferecia, e o aconchego a lembraram de casa. As saudades falaram mais alto, e foi a gota d'agua para liberar todos as emoções represadas por meses. Ela tentara ser forte, mas o seu limite tinha chegado. Um turbilhão passava por sua cabeça.

Levantou o queixo em resposta aos mãos que seguravam seus ombros, e não ousou evitar os olhos dele. Espelhavam verdadeira preocupação. Engoliu as lágrimas ao ouvir o questionamento, mas o brilho marejado a entregou. Não sabia o que dizer, não sabia o que pensar.

- Desculpa Isaac, mas eu simplesmente estou morrendo de vergonha. Onde já seu viu uma Sonserina sentimental? - falava baixo, tentando fazer gracinha para desviar o assunto, agora já mais recomposta do momento de fraqueza. Resolveu ser franca com ele.

- Na verdade não estou conseguindo superar muito bem essa nova forma de separar os alunos. Estou revoltada com minha mãe por ela ter voltado a trabalhar no Ministério da Magia. Todos meus amigos foram para a outra liga. Eles são muito importantes para mim. - Parou ensaiando mentalmente o que diria a seguir. Era dificil pensar claramente quando estava perto dele. E depois de ter trocado de corpo com ele, uma intimidade nova tomou conta dela.

- Isaac - agora ela colocou os braços em volta da cintura dele, enquanto se aproximava mais, olhando para cima sem se afastar dos olhos dele - você sente tanta falta da Sonserina como eu sinto? - um biquinho se formou em seus lábios - Por que eu preciso muito de sua ajuda para ter ela de volta... - não conseguiu se conter, a voz falhou, os lábios falhando em não tremer. Acabou por envergonhada, esconder o rosto no peito dele, sem se importar por estar molhando a camisa perfeitamente passada. - Posso contar com você? Tem alguma idéia do paradeiro do Chapéu Seletor? Sinto que com ele de volta a Sonserina poderia voltar a brilhar outra vez- a sua voz nasalada soou estranha, pelo nariz trancado. Mas deixou transparecer na sua voz toda a tristeza e angustia que sentia e o quanto confiava no curandeiro.



Última edição por Marina Angela em Qua Ago 12, 2009 11:18 pm, editado 2 vez(es)


_________________

12 Re: Corredores do Castelo em Qua Ago 12, 2009 8:51 pm

Graziela Fernandes

avatar
Graziela procura impaciente pelo fantasma da “extinta” casa Sonserina, o Barão Sangrento, quando uma menina chega e fala com ela.
-Olá Gabrielle, sou eu sim! Muito prazer...-fala Graziela estendendo a mão gentilmente para a garota.

Antes mesmo de Graziela terminar de se apresentar para Gabrielle aparece quem ela estava procurando.
-Olá Barão do meu coração...pelo visto você se lembra de mim!-disse Graziela dando um largo sorriso ao ver que o fantasma rabugento havia se lembrado dela-Quero saber o que o senhor esta achando dessa mudança na escola,e se o senhor sabe onde anda a Dama Cinzenta...?! Ela sumiu...

Graziela faz uma prevê pausa e antes do barão responder ela continuou:
-Antes do senhor retrucar...é apenas curiosidade...nada mais!

13 Re: Corredores do Castelo em Qua Ago 12, 2009 10:19 pm

Kaileena Harumo

avatar
Professora de Hogwarts
Professora de Hogwarts
[Vindo de: Enfermaria]

Kaileena passava pelos corredores ao lado do marido abraçada. Ela pareciam não conversar . A professora estava com a cabeça encostada no ombro do japonês e olhos fechados sendo guiada exausta por ele.

[Indo para: Aposentos reservados]

14 Re: Corredores do Castelo em Qua Ago 12, 2009 10:34 pm

Shinta Takeku

avatar
NPC
NPC
[Vindo de: Enfermaria]

Shinta ia calado, acompanhando sua esposa. Amparava-a com as mãos, de modo a ajudá-la a caminhar, dirigindo-se junto com ela.

[Indo para: Aposentos reservados]

15 Re: Corredores do Castelo em Qui Ago 13, 2009 11:12 am

Gabrielle Stevan Orion

avatar
Sonserina
Sonserina
Narração
-Falas


Gabrielle olha para Graziela e aperta a mão dela abrindo um belo sorriso.


- O prazer é todo meu Graziela .


Gabrielle espera Graziela conversar com Barão Sangrento, e assim que Graziela termina de falar com o fantasma, Gabrielle olha para ela e pergunta: - Mais Graziela porque essa preocupação com a Dama Cinzenta?



- O que esta acontecendo de tão importante assim na escola?!



--------------------------------------------

16 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 12:44 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Deacon ouviu Marina dizer que um aluno da Sonserina não podia ser sentimental, entretanto ele já tinha uma resposta para aquele desabafo da garota, mas não podia falar: simplesmente porque não desejava assustá-la compartilhando aquele seu pensamento mesquinho que estava fazendo cócegas frenéticas em sua boca para que saísse de sua mente.

O curandeiro aceita o abraço e o desabafo de Marina, retribuindo o abraço. Ele sentiu um peso na consciência enorme... Isaac não era do tipo que iria deixar de salvar o seu para salvar Hogwarts, muito antes pelo contrário.

Sim, Deacon sabia a localização do Chapéu Seletor, entretanto ele havia feito o voto perpétuo de que não contaria onde escondera o Chapéu, e não estava disposto a perder a vida para salvar a escola, muito antes pelo contrário, seus interesses ali eram outros e, querendo ou não, ele precisava sustentar sua velha mãe... Mas, sem Hogwarts, os objetivos de Deacon também iriam por água abaixo... Mas ele trairia suas próprias convicções e perderia a vida para salvar Hogwarts? Será que ninguém desconfiaria que Wise também poderia muito bem ter escondido o Chapéu? Ningém disconfiaria que ele sabe de alguma coisa? Ele teria hipnotizado as pessoas para ninguém ver essa possibilidade?

Fato era que se Deacon abrisse o bico, mesmo que indiretamente, ele estaria morto. Não poderia nem contar sobre o voto que fizera... E o pior: agora ele teria que mentir para Marina.

- Angie... - sussurrou no ouvido da garota, enquanto os braços fortes dele passavam nas costas dela, enlaçando-a em um abraço muito apertado. Lágrimas percorreram seus olhos - Eu... Eu... - Deacon respira fundo. Somente depois de alguns segundos, quando consegue deixar sua voz mais sóbrea, continuou dizendo - É claro que eu sinto falta da velha Sonserina... Mas... Eu... Não posso ajudá-la... Não posso fazer nada para que as casas voltem a ser o que eram antes, e...

Deacon estava com uma enorme dor no peito. Ele sentia falta da bagunça da sala Comunal que ele visitava de vez em quando. Tinha saudade das coisas que fazia para ajudar os garotos, de quando Pirraça ficava os perseguindo e Deacon os "salvava", ou então de quando precisavam de uma aula de reforço em alguma matéria que Deacon sabia...

Envergonhado pelas lágrimas que caíam de seu rosto, ele dá um giro com Marina nos braços, um giro de modo que a garota ficou no centro da circunferência que o corpo do curandeiro desenhou ali, e fixou-a contra a parede, onde as sombras da noite praticamente os engoliu. Não havia ninguém ali naquele horário, já era madrugada, e então Deacon apertou Marina furiosamente contra seu peito. Ela estava quase na altura do pescoço dele, pois havia uma espécie de degrau onde ela tinha sido colocada.

Então, ela ouviu uma voz que nem parecia vir do próprio Deacon. Uma voz furiosa, baixa, seca, cheia de ódio... Uma voz do mesmo tipo de quando alguém lança uma maldição imperdoável.

- Mas eu vou acertar as contas do Sibytus. Isso você pode ter certeza. Aquela cicatriz no rosto dele não ficará impune. Não mesmo. Isso não vai ficar assim, ninguém, ninguém, deixa marcas em um Sonserino meu. Nem que eu tenha que rodar aquela floresta inteira atrás desse maldito torturador! Eu vou pegá-lo! E eu juro, eu juro, que minha vingança não será nada agradável a ele!

A força com que Deacon abraçava Marina não a machucava, mas o ódio de Deacon era tanto, mas tanto que ele tremia, um tremor contido, parecia que se ele estava se segurando para não despejar toda a sua raiva naquele abraço, com medo de partir Marina ao meio.

No mesmo instante, o abraço cessa e ele olhou para a garota, não queria tê-la assustado. Ali, no meio de tudo aquilo, no meio de todos aqueles sentimentos embaralhados, Marina estava muito perto dele, de modo que Deacon não pôde controlar seus instintos. De repente, ele se viu diante dela, os olhos de ambos estavam conectados.

http://www.tudou.com/programs/view/V_jNzIGhL9M/

- Você... - agora sua voz estava mais tranquila, entretanto mantinha a seriedade. - Você é linda...

O dedo indicador de Deacon toca a sobrancelha de Marina, acariciando-a até as têmporas, depois, a mão que ainda segurava a garota no abraço, sobe até a bochecha dela, tão rosada mesmo sob o fino feixe da luz da lua que a alcançava. Seus dedos agora foram juntos penetrando por entre os fios dos cabelos macios e sedosos de Marina, ele colocou os cabelos dela para frente, e começou a cheirá-los ali mesmo, dava para ouvir o ar sendo sugado por suas narinas e seu rosto era de extremo deleite.

- E seus cabelos... Seu cheiro... Você... - à medida que ia falando, passou pelo lado de seu pescoço, cheirando-o perto o suficiente para se viciar do aroma da região, mas sem tocá-la, sussurrando - Você é tão bela, mas tão nova... Porquê?

Como se Marina tivesse dado um choque em Deacon, ele pula para trás, parando à três passos da garota. Ele estava respirando rapidamente, como se o ar estivesse faltando a seus pulmões depois de muito tempo de imersão na água. Ele leva as mãos à testa e dá outro giro, anda até o outro lado do corredor e apóia a testa na parede oposta em que ele tinha quase agarrado sua mais nova, digamos, "estagiária".

17 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 1:37 am

Marina Angela

avatar
Era reconfortante te-lo ao seu lado. Mesmo já sendo um adulto ele tinha uma mente jovem, e ela se sentia ao lado dele com quando estava com seus colegas. Muito bem. Em casa.

Então qual foi sua surpresa após confessar seus medos, quando ele a abraçou mais forte e começou a chorar. Ela sabia que ele sofria tanto quanto ela pela perda da Sonserina. Mas porque ele não poderia ajudá-la? Algo ali estava absolutamente errado. Não insistiria neste ponto agora, estava envergonhada demais por ela propria estar chorando. O que pensaria quem visse a cena sem conhecer o contexto?

A surpreendeu com o abraço forte e depois dele girar em sua volta, não sabia o que a deixou mais desnorteada. Se foi sentir o corpo rigido dele prensando ela contra as pedras frias do corredor do castelo -o frio aliviandoo calor que sentiu - ou o tom da voz e as palavras que ouviu da boca dele.

Ele estava com sede de vingança e nisso suas palavras fizeram eco no coraçaõ de Marina. Ela, mais do que ninguém deseja que essa vingança acontecesse, mas estava muda de espanto e não conseguia reagir.

Sentia o respirar fremite dele no seu pescoço. O quanto ele continha sua ira. No entanto ao inves de medo, se sentia protegida naquele abraço. Mesmo na escuridão do corredor podia sentir a energia que azuis passavam a verdes.

- Você... - agora sua voz estava mais tranquila, entretanto mantinha a seriedade. - Você é linda...


De tudo o que acontecera aquela noite, da poção polissuco ao namorado quase sem vida chegando na enfermaria, as emoções mais fortes foram as desencadeadas pelas palavras dele e a arrepiaram profundamente. Havia além da constatação que muitos já haviam feito.

O tom da voz ou o modo dele tocar seu rosto, não soube precisar qual foi a causa, talvez o ruido da respiração dele em seus cabelos. O fato foi que ali, naquele momento um véu descortinou seus olhos para novo patamar no modo como ela via o curandeiro. Pela primeira vez ela deixou a inocencia da amizade dar lugar ao homem que estava na frente dela. E que a acariciava como tal.

O ratinho hipnotizado pela serpente. Não conseguia se afastar dos olhos dele. Estava inerte, presa contra a parede, não pelas mãos dele,mas por ela própria que buscava sustentação para o seu corpo. Não sabia o que sentir diante do que estava acontecendo.

- Você é tão bela, mas tão nova... Porquê?

Retornou a realidade quando ele se afastou violentamente. Precisa rápido acalmar ele. Tomou mais ar para si, as pernas tremendo sem parar e atravessou o corredor ,tocando em seu ombro.

- Isaac, você esta muito nervoso e não esta dizendo ou fazendo coisa com coisa. Vou considerar tudo o que aconteceu aqui como resultado da extrema pressão a que você tem sido submetido. Confio em você. Sei que não faria nada para me prejudicar e se diz que não pode ajudar eu acredito que realmente não possa.

- Se aquilo tudo era verdade, porque aquele arrepiu na espinha e tremor no corpo não passava? Porque ele não se voltava e encarava ela? - Sentia os músculos dele tensos debaixo da fina camisa.

- Podemos ir agora? - Tentou juntar a voz mais firme que conseguiu, mas suas pernas pareciam gelatina. Ela estava se tornando uma mentirosa de primeira linha.


_________________

18 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 1:56 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Isaac ficou imóvel ao toque de Angie em seu ombro. Era assustador como o toque dela liberava um calor que desencadeava uma sensação perversa dentro dele. Com um movimento muito mal educado, ele retira o próprio ombro da delicada mão de Marina e vira-se de uma vez para ela, encurralando-a numa pilastra próxima. Ele parecia nervoso e segurou-a, pousando as mãos nos cotovelos da garota.

- ...

Seus olhos intensos consumiram o rosto de Angie, eles estavam há centímetros de distância, ele conseguia sentir a respiração dela, da mesma forma que ela possivelmente sentiria a dele. Demorou um pouco, ele engoliu em seco várias vezes, quando, enfim, disse:

- Você sabe... Você sabe que eu sou um homem obstinado. Eu tenho um objetivo claro como a luz do dia. Sou cheio de caprichos. Você sabe que eu não faço nada sem planejar, e também sabe que sou um cavalheiro. Mas... Perto de você, Angie... Perto de você... ... ... Você tem uma magia que eu não consigo entender. Eu me perco. Faço coisas que não devia. Perco meus sentidos. Você causa alguma coisa em mim que... Não estou acostumado. Isso... Isso... Me dá um certo receio. - seu receio se tratava de puro medo. Mas um homem nunca assume que está com medo. - e... Com esses lábios lindos, essa pele macia e esse seu cheiro... Eu tenho receio de te... De te machucar.

Deacon agora estava suando em suas têmporas. Fios de cabelo soltavam-se para a frente de sua testa, encobrindo-a parcialmente. Agora ele estava colado a ela e, quando se deu conta, afastou-se, mas desta vez somente deu um passo para trás e baixou a cabeça, transtornado. Ele solta um suspiro junto com a seguinte frase:

- Não. Isso está errado. Venha. Vou te levar pra sua casa, ou liga, sei lá, tanto faz, vou te deixar em segurança. Esquece tudo o que eu te falei agora.

Os olhos de Deacon estavam fechados e o queixo dele tocava a testa de Angie.

- Me desculpe se te assustei... - e ele a abraça.

19 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 2:24 am

Marina Angela

avatar
Outra vez o frio da coluna nas costas. E as mãos dele a prendendo ali. O arfar da sua respiração pelo susto tomado subia e descia seu decote, arrastado pelos seios que se moviam ofegantes. O rosto vermelho em brasa. Na cabeça um turbilhão de idéias. Não era tão boba assim, já tinha visto muitos filmes trouxas nas tardes ociosas. Sabia qual a cena seguinte do roteiro que protagonizavam.

O calor da respiração dele colada ao seu rosto, podia sentir cada fibra do corpo dele encostar no seu, separados por meros fios de algodão trançado chamado tecido. Não conseguia, não queria desviar do olhos dele.

Lembrou de quando estava no corpo dele, uma sensação de total intimidade tomou conta dela. O modo como os olhos dele a viam. Algo mais sólido crescendo entre eles, revelando um desejo que não existia ali antes.

Novamente ele fazia o que queria dela, como então ousava dizer que ela o desconcertava quando era ele que fazia isso. A medida que ele falava sobre seus sentimentos - e ela percebia que era dificil para ele isso, e que ele estava confuso - uma certeza soou dentro dela. A de que ele ainda tinha muito segredos que o torturavam. Ela estava começando a ficar assustada. Ele estava transtornado e não respondia por seu juizo perfeito, ao menos era o que ela imaginava.

O alivio foi grande quando ele interrompeu o contato, aparentemente arrependido. A lucidez voltando a ele pouco a pouco. Sabe-se lá a que custo. Marina tremia sem parar, seus hormônios dando pane e o coração na boca. Sempre achara o curandeiro um homem bonito e charmoso, mas te-lo assim tao perto e tão real, falando aquilo tudo para ela a deixou em pânico.

- Voce esta confuso e não entendo o que você fala - ela era sincera, jovem e totalmente inexperiente das artes do amor e da sedução. - Sim, eu gostaria de ir para cama agora. Já esta tarde. Amanhã você pensa melhor e vai ver que não pensa nada do que falou agora.

O abraço foi terno e calmo, e claro que ela o perdoaria, mas que no fundo no fundo, qual mulher não gostaria de ouvir uma confissão daquelas? Pena que Marina ainda não sabia exatamento do poder que tinha sobre ele e do que isso significaria no futuro.


_________________

20 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 2:30 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Deacon olhou para Marina e pensou em mil coisas para falar, entretanto optou pela mais estúpida delas.

- Não precisa mais vir - disse, sério, mas a voz meio fraca, meio falha. Se ela não dissesse nada, ele então a acompanharia calado até que chegasse na entrada da liga Ministerial.

21 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 2:42 am

Marina Angela

avatar
Ao ouvir as palavras dele o sangue subiu completamente a sua cabeça. Fechou os punhos para não avançar nele. Não reprimiu mais nada.

- SE TODO ESSE TEATRINHO ERA PARA ME MANTER AFASTADA DA SUA PRECIOSA ENFERMARIA PODIA TER POUPADO MEU TEMPO - ela gritava furiosa com ele - AGORA SOU EU QUE NÃO QUERO MAIS PISAR LÁ. - estava dilascerada por dentro. Aquele estágio fora um dos motivos que a trouxeram de volta a escola essa ano. Na verdade fora o único, já que o namorado sumira as férias inteiras. E agora o que ela tinha?

- Eu sei muito bem o caminho da Liga Ministerial, posso muito bem ir sozinha. - E se afastou pisando duro, não sem antes lançar um olhar gélido que faria vovô se orgulhar dela, pois fora no seu melhor estilo. Genética é uma coisa incrivel


_________________

22 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 2:59 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Deacon ficou mais irritado ainda com o grito da garota, poderia ter acordado mais da metade do castelo. Ele vai até ela e a segura por apenas um braço, puxando-a para si, sem nenhum cuidado, olhando-a bem dentro dos olhos deça e destilando todo o seu veneno entredentes, falando baixo:

- Você não vê que eu faço isso por você? Para sua segurança? Tudo o que tenho feito! E é assim que você me trata? Quer saber? Você está encrencada garotinha, por estar nos corredores tarde da noite. E foda-se se seu namoradinho idiota estava sendo torturado e você veio vê-lo, não há exceções para alunos! Menos 30 pontos para a Liga Ministerial!

Deacon gaguejava insanamente agora.

- Seu primeiro beijo foi com ele, não foi? Não foi? - ele sacudiu-a, ainda segurando-a pelo braço, agora sim machucava um pouco. Ele estava cheio de ciúmes. - Foi naquela merda de festa, não é? Se ama ele, porque ainda fica perto de mim? Sabe de uma coisa? Você pode sentir-se um lixo. Na hora que ele mais precisou, você não pôde fazer nada. Acovardou-se. Não tem conhecimento para protegê-lo. E foda-se pra você também: você não tem discernimento - com a mão livre, ele faz dois toques rápidos na cabeça com as pontas de seus dedos, mas não parou de falar - suficiente para entender que o que eu estou fazendo neste exato momento é o melhor pra você, que faço para te proteger, sua tonta! Se você não consegue proteger a pessoa que você gosta, pelo menos me deixe proteger quem eu gosto! E aquele estúpido que põe aquelas mãos sujas em você tem sorte de ser da Sonserina, senão eu ia deixar ele ali, sangrando até morrer! Não estou te expulsando, estou te protegendo!

Ele agora se aproxima novamente. Se aproximou tão rápido que nem deu tempo de respirar direito, só continuou tagarelando:

- Você não sabe o perigo que eu represento pra você, e o perigo que nós dois juntos representamos para mim. Se Kai estivesse bem de saúde, ela provavelmente poderia ter me prendido por abuso sexual, se é que você entende o que é isso! Puta merda, Marina, será que você não percebe? Não fomos feitos um pro outro! E eu estou que nem um idiota aqui tentando fazer com que você ao menos... Ah, esquece! E você é que escolheu: eu não vou com você, mas eu adianto que eu vou morrer de rir quando você for raptada e torturada, e não vou mexer um músculo pra te salvar, está me entendendo? Que porra, anda logo, não quero ouvir nenhuma reclamação, vou te jogar dentro daquela sala; você não vai andar sozinha nesse corredor com um maluco à solta, vou te levar nem que seja a última coisa que eu faça na minha vida!

E Deacon puxou-a com violência pelo corredor.

23 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 3:35 am

Marina Angela

avatar
Aquilo não podia estar acontecendo. Não com o gentil e atencioso curandeiro. Mostrava agora um lado que ela nunca tinha visto. Estava realmente transtornado e seu palavreado era baixo e vulgar.

- Você esta me machucando! - puxou tentanto retirar o braço, que ele segurava firme. - E esta sendo grosseiro e inconveniente.

Começou a sentir um medo real dele. Pela primeira vez ele conseguia intimidá-la e amedrontá-la. O brilho insano dos seus olhos graduavam o perigo a sua volta e que vinha dele.

Mas ela não era um Soserina a troco de nada. E a lingua mais comprida que a de uma cobra se recusou a ficar dentro da boca. Puxou com força o braço que ele segurava com a mão firme e determinada. O movimento exigiu tanto esforço que quando se soltou dele caiu sentada no meio do corredor. A surpresa o fez parar o movimento rápido que ele imprimia aos passos.

- Você falou tudo o que quiz agora vai ouvir - e se pos de pés com um movimento felino - Quem você pensa que é para tirar pontos de uma monitora da Liga Ministerial? Tendo como testemunha do meu motivo, a professora Kaileena e o professor Shinta, quando sai da enfermaria em SUA companhia? - os olhos o fuzilavam e o corpo se inclinava para frente afrontado-o.

- Dobre sua lingua quando falar do meu namorado. Ele não foi o primeiro que eu beijei na minha vida, foi o único, e foi sim naquela festa, e eu segui os SEUS conselhos - mal conseguia falar de raiva, sibilava a essa altura - e isso não é da sua conta - agora andava a volta dele - e você Isaac, já beijou alguém? Fala em cuidar de quem gosta, você tem capacidade de gostar de alguém? - uma sobrancelha se erguia enquanto a outra permanecia no lugar. Aquelas palavras rasgavam sua alma,mas ela queria ferí-lo com ele havia feito com ela.

- Se não tenho discernimento - e imitou o gesto dele- ao menos tinha a você como um modelo a seguir. Era para te mostrar que eu tirava as melhores notas. Para que tivesses orgulho de mim. Mas fui uma tola, isso não fazia diferença, porque para você só existe o seu umbigo.

- Cansei de tentar ser perfeita para te agradar, tentar aprender com você, me espelhar com você, cansei.

Seu peito ardia pela respiração dificil. Seu cérebro fervia, ele falava em cuidar dela porque gostava dela e depois desejava que ela sofressse nas mãos do torturador. Idéias caóticas, pensamentos confusos.

- E tem mais - se esquivava dele como um animal ferido - se esse torturador me pegar não vai mais encontrar meu medo principal, porque meu medo era decepcionar você e agora eu não tenho mais, porque você me decepcionou primeiro. E caso eu sobreviva, esta proibido de colocar as mãos em mim, quero ir para o Saint Mungus para ser tratada por quem não deseje o meu mal.

-Dane-se se o caminho é perigoso, não vou com você e pronto.


_________________

24 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 3:46 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Deacon ficou quebrado, partido em vários pedacinhos. Ele conseguiu ali duas informações preciosíssimas, coisas que ele sempre quis saber, mas não sob aquelas circunstâncias. Ele agora é quem estava com as pernas tremendo. Ele queria falar muita coisa, queria dizer que ele gostava dela de verdade, que seu dia se iluminava quando Marina estava incluída nele...

- Olha, Marina, eu não falei a sério... - ele pára no meio do caminho, os pés bem separados, uma das mãos no bolso do jaleco, outra no rosto transtornado. - Marina, por favor... Espera... Espera! Se você sumir, aí sim eu terei problemas! Marina... Marina!

Deacon andou até ela e parou na sua frente, de modo a interromper o caminho dela.

- Angie... Eu sinto muito, eu não quero que você sofra... Por isso mesmo eu... Será que é difícil entender? Que droga! O que você quer que eu faça? Eu não estou te expulsando da enfermaria, Angie! O que eu posso fazer pra você deixar de besteira? Hein? Vai, fala! Qualquer coisa!

Seu rosto estava perturbado. Queria mesmo entender o porque aquela briga idiota tinha começado, e queria ainda mais terminar aquilo ali.

25 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 3:53 am

Marina Angela

avatar
A sinceridade dele se refletia nos gestos, nas palavras e naquele olhar. Como a bonança depois da tempestade, eles estavam claro e limpidos. Como ela amava ser olhada por ele deste modo. Parou respirando forte. A ira ainda percorrendo seu corpo. A adrenalina fazendo-a se sentir viva, mais viva do que nunca.

- Eu quero duas coisas - não tirou os olhos dele - continuar aprendendo contigo tudo sobre procedimentos bruxos e ... - parou um pouco receosa, o pé repetindo padroes aleatorios, a cabeça meio baixa - e quero meu amigo Isaac de volta.

Ensaiou um sorriso timido. Estava cedendo muito fácil, mas doia mais discutir com ele do que engolir o orgulho.


_________________

26 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 3:58 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Deacon coçou a nuca, ficou envergonhado.

- Bem... Talvez nem tudo eu possa te ensinar... Digo, não legalmente... mas... Se quiser... Eu posso... Ser seu amigo de volta... Não que eu tenha considerado alguma vez que eu não tenha sido seu amigo... - Deacon dá um sorriso completamente idiota, muito envergonhado, e abre os braços, esperando que, se ela tivesse mesmo o perdoado, ela iria se aconchegar em seu peito como fazia tantas vezes quando ia buscar sua ajuda sentimental na enfermaria. - Vem, vou te levar pro quarto, digo, pra sua casa... Vem, vem... - ele movimenta apenas os dedos, mantendo os braços eretos, chamando-a.

27 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 4:04 am

Marina Angela

avatar
Como pintinho que ve a asa da galinha choca levantar, ela queria era ir correndo para os braços dele.

- Não força a barra Isaac. Não dá para falar tudo o que se falou aqui e correr para o abraço depois. Nosso relacionamento ficou abalado. Tenho a real e honesta intenção de retomá-lo. Mas agora me dá um tempo sim.

E tomando o braço dele, enganchou no seu e rumaram para a Liga. Um beijo na bochecha dele foi tudo que ela conseguiu expressar antes de entrar na sua nova casa.


_________________

28 Re: Corredores do Castelo em Sab Ago 15, 2009 4:10 am

Dr. Isaac Deacon

avatar
NPC
NPC
Deacon viu que havia sentido nas palavras de Marina e, levando-a pelo braço, ficou naquele clima incômodo... Ele nunca se sentira tão mal perto dela. Fora um idiota, um crápula, um canalha, um desgraçado sem coração, um trasgo, uma lesma, um bicho asqueroso qualquer. Não, pior que isso: fora desrespeitoso. Ele perdia a noção perto dela.

Ao receber o beijo no rosto, Deacon sentiu uma forte vontade de segurar Marina em seus braços e beijá-la até que ela ficasse sem ar, entretanto apenas deixou que a mão da garota escorregasse friamente para fora de seu braço e recebeu o beijo frio de boa noite.

- B-boa noite, Angie...

Ele foi andando de costas e, lá do final do corredor, a observou entrar em segurança.

29 Re: Corredores do Castelo em Seg Ago 17, 2009 10:47 am

Wendy Rachelwood

avatar
Corvinal
Corvinal
Os corredores pareciam meio que movimentados até...

Wendy passa apressadamente em sentido a sala de Feitiços, estava um pouco atrasada pra aula e não deveria demorar... A demora a atrasaria em casos de atividades...

"Vamos sua atrazilda... Ninguém manda ficar o tempo todo pra comer no jantar!!!"

Pensa Wendy, e continua sua caminhada apressada pelos corredores

30 Re: Corredores do Castelo em Seg Ago 17, 2009 11:01 am

Petrick Stamberlee

avatar
Professor de Hogwarts
Professor de Hogwarts
Narração
-Fala
-Pensamento

Após sair da biblioteca ele vai para os corredores, seu rumo era para a Liga Ministerial, agora estava ansioso, queria saber logo o que ele e Charlotte iriam aprontar, faria qualquer coisa para levantar o animo dessa escola. De repente se choca com uma garota que vinha muito apressada pelos corredores, todos os seus livros caíram no chão, ele quase chegou a bater sua testa na da menina, a menina era Wendy Rachelwood, a conhecerá no banquete de boas vindas.

-desculpa! Mais você estava vindo na velocidade de um Hipogrifo.

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 4]

Ir à página : 1, 2, 3, 4  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum